Please reload

Publicações Recentes

Consumo de café é relacionado a menor risco de morte em estudo americano

06.04.2016

Fonte: Reuters

 

Tomar café é muito bom. Saber que podemos ganhar mais saúde e, quem sabe, viver mais por conta disso, é melhor ainda!

 

Pois é o que apontou um estudo de 10 anos nos Estados Unidos, divulgado no final de 2015. Neste estudo, pessoas que tomaram café regularmente se mostraram menos propensas a morrer de várias causas, incluindo doenças do coração e diabetes, do que aquelas que não tomavam café algum. Quanto mais café os participantes consumiam, menor era o risco de morte, e consumidores de café descafeinado apresentaram um padrão similar.

 

“O café contém muitos compostos biologicamente ativos, incluindo ácidos fenólicos, potássio e cafeína", disse a autora do estudo, Dra. Erikka Loftfield, do Instituto Nacional do Câncer em Rockville, Maryland, EUA.

 

Os pesquisadores usaram dados de um estudo anterior com 90.317 adultos sem câncer ou história de doença cardiovascular que foram acompanhados entre 1998 e 2009. No início do estudo, os participantes relataram como era sua ingestão de café, além de outros detalhes de sua dieta e saúde. Até 2009, cerca de 8.700 pessoas morreram. Após a contabilização de outros fatores como o tabagismo, os pesquisadores descobriram que os consumidores de café tinham menor probabilidade de morrer durante o estudo do que os que não consumiam a bebida.

 

O risco de morte foi menor para aqueles que bebiam de quatro a cinco xícaras de café por dia. Uma associação semelhante foi observada entre os consumidores de café descafeinado, de acordo com os resultados apresentados no American Journal of Epidemiology (Jornal Americano de Epidemiologia).

 

Consumidores de café tiveram um risco reduzido de morte por doença cardíaca, doenças respiratórias crônicas, diabetes, pneumonia, influenza e suicídio, mas não de câncer, descobriam os pesquisadores.


"Embora o consumo de café também tenha sido inversamente associado à incidência de certos tipos de câncer, como o de fígado, em estudos epidemiológicos não observamos uma associação entre café e mortalidade global pelo câncer", disse Loftfield. "Isso pode ser por que o café reduz o risco de mortalidade para alguns tipos de câncer, mas não outros", completou.

 

Ainda de acordo com a especialista, as pessoas que consumiam de duas a três xícaras de café por dia tinham aproximadamente um risco de morte 18% menor durante o acompanhamento no estudo em comparação com aqueles que relataram não beber café. Beber até cinco xícaras por dia, ou 400 miligramas de cafeína por dia, não está associado a riscos para a saúde a longo prazo, Loftfield acrescentou.

 

O consumo moderado de cafeína - até 200 ml por dia - é ainda seguro para mulheres grávidas, de acordo com uma declaração do Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas, embora cada paciente deva avaliar suas condições e checar as recomendações do seu médico.

 

"Há um número sucessivo de estudos de alta qualidade que mostram que as pessoas que bebem mais café tendem a ter melhores resultados de saúde", disse o Dr. Marc J. Gunter, do Imperial College de Londres, que não participou do novo estudo. Mas o café também pode ter um efeito direto sobre a inflamação ou a saúde cardiovascular, disse o Dr. Gunter. Por isso é importante sempre conhecer seu quadro clínico e ter acompanhamento médico.

 

O estudo não prova que o café prolonga a vida. 

 

Fonte: http://bit.ly/1MhQhtl American Journal of Epidemiology, online November 27, 2015.

 

Please reload

Compre

Produzido por: 

Sanches Cafés Especiais

contato@sanchescafes.com.br

www.sanchescafes.com.br

SOCIAIS:         PAGAMENTO:         ENTREGA: 

© 2014 by Cafetina.